sábado, fevereiro 24, 2007

De Mézières a Souchard: percursos históricos dos métodos de reeducação postural

(Publicado na Saúde Actual, Março-Abril 2007)
Os métodos de fisioterapia de Reeducação Postural podem ser categorizados, em termos de uma adequada historiografia geográfica, em dois grandes tipos: os métodos francófonos e os métodos anglo-saxónicos.
Aqui em Portugal parecemos estar mais familiarizados com os métodos francófonos, enquanto que a técnica Alexander, o Rolfing (Rolf) e a metodologia dos “Trilhos anatómicos” (Myers) têm interessado fundamentalmente os terapeutas e osteopatas britânicos (referimo-nos, portanto, a métodos anglo-saxónicos).
Pouco conhecido e frequentemente caricaturado, não podemos deixar de considerar o método Mézières como o método primacial de reeducação postural, pelo menos no mundo ocidental. Este mesmo método foi implementado de forma algo silenciosa pela fisioterapeuta Françoise Mézières, aquando das suas observações iniciais de doentes com graves deformidades posturais.
A descoberta de um conjunto de novas leis fisiológicas que servem de base ao método possui uma história que cada mézièrista conhece bem...
Mézières conta: “Quando numa magnífica manhã de primavera de 1947 nós vimos entrar no nosso consultório uma paciente apresentando uma soberba “cifose”, nós estávamos bem longe de pressentir que a nossa profissão e o destino de toda uma legião de doenças iam ser mudadas...”. Esta mesma doente encarna o espírito de investigação com base na prática de observação naturalista. Foi por meio da observação que foi possível verificar o funcionamento da musculatura encurtada num cerne de globalidade que, mais tarde, viria a ser conhecido como “cadeia muscular”. Assim sendo, os dois grandes princípios do método estavam à vista: (1) a musculatura posterior comporta-se como um só músculo, uma cadeia muscular, e (2) ela é sempre forte, curta e potente de mais, por constituir uma cadeia de músculos responsáveis pela rectificação postural.
O método Mézières põe em evidência o facto de que, derivado do reflexo anti-álgico à priori (que reflecte o conjunto de compensações e torções que o corpo assume aquando do aparecimento de determinada dor e/ou alteração estrutural), o corpo deforma-se sempre através dos mesmos mecanismos: encurtamento da musculatura posterior do corpo (lordose), rotação interna dos membros inferiores (derivado da relação entre o diafragma encurtado e o músculo psoas-ilíaco) e o bloqueio diafragmático em inspiração (o diafragma é um músculo lordosante, relacionado com o conjunto das massas musculares posturais).
O tratamento segundo o método Mézières consiste precisamente no denominado tripé de Mézières: deslordose, expiração e desrotação. Ou seja, assenta no princípio fundamental de alongamento global da cadeia muscular posterior e da cadeia diafragmática e outras com a primeira relacionadas. O alongamento global referido consiste na realização de posturas de estiramento abrangente, mantidas por tempos prolongados, sendo que esta necessidade advém do facto de a musculatura postural ser extremamente resistente.
É preciso entender que, segundo os princípios do método Mézières, tudo está dependente da cadeia posterior e todas as retracções e deformidades advêm do encurtamento da citada cadeia, sendo que, muitas vezes, o diafragma medeia o transporte de retracções e/ou compensações para outros conjuntos musculares (a cifose poderá ter origem neste tipo de processo).
Ora, se esta mesma “revolução na ginástica ortopédica” se apresenta como extremamente purista e parcimoniosa, o mesmo já não se pode dizer de todos os outros métodos que evoluíram a partir de Mézières. O método das “Cadeias Musculares e Articulares” de Godelieve Denys-Struyf é provavelmente aquele que mais acrescentou a Mézières em termos da riqueza de conceitos e descrições; por outro lado, a referida autora é extremamente fiel ao método original, sendo que o seu próprio método é mais uma interpretação globalista de tipos posturais, e não uma genuína técnica de tratamento. Os métodos de grupo como a antiginástica, de Thérèse Bertherat, pelo simples facto de não constituírem métodos individuais, pecam já bastante no respeitante à noção de panteísmo dos princípios mézièristas. Mas a grande traição dos princípios de Mézières advém de quando os diferentes autores deixam de perceber que o conjunto das diversas “cadeias musculares” por eles identificadas, não passam de um prolongamento de uma só cadeia muscular: a cadeia posterior.
Assim sendo, os métodos do Stretching Postural (Moreau) e da Reconstrução Postural (Nisand) esboçam as primeiras tentativas de construção de ginásticas de alongamento global do corpo, mas ninguém teria tanto sucesso na construção de um novo método como Philippe Souchard. Este fisioterapeuta, o qual ensinou o método Mézières durante anos a fio, pode ser congratulado por ter dado a conhecer ao mundo o conjunto dos métodos de reeducação postural, e, se em Portugal a ignorância ainda é muita, em muitos países é famosa a Reeducação Postural Global (RPG), assim como o seu “filho grupal”, o Stretching Global Activo (SGA).
Souchard foi inteligente no processo de “venda” do seu método, apesar de não ter tido a coragem para o apresentar ao mundo antes da morte de Mézières... As oito posturas de alongamento global do RPG (postura base de avaliação, rã no chão com e sem abertura de braços, rã no ar com e sem abertura de braços, postura dançarina, postura sentada e postura de pé contra a parede) apresentam-se como posições inteligentes e atraentes (e sobretudo como posições estandardizadas que levam a pensar que o alongamento não poderia ser feito de outro modo...). Para além disso, esquece um pouco o princípio da deslordose, trabalhando com a coluna neutra em muitas posturas nas posições de pé e sentado, o que, para alguns, é sinónimo de inovação. Mas diga-se de passagem que tudo o que Souchard tem escrito nos seus livros pouco acrescenta àquilo que foi afirmado inicialmente por Mézières. A constatação da existência de “diversas cadeias musculares” (o método de Souchard fala das seguintes cadeias: respiratória, posterior, cadeia antero-interna da anca, anterior do braço e antero-interna do ombro) não tem sido entendida como errática, pois existe uma certa tendência para compartimentar e dividir aquilo que, no fundo, é global e indivisível.
Ainda assim, o RPG e o SGA apresentam-se como métodos brilhantes no respeitante à forma de ver o sistema músculo-esquelético, assim como o conjunto das funções hegemónicas do corpo, e no afirmar de princípios elementares de trabalho postural como o alongamento a frio por longos períodos de tempo, sempre respeitando o tensionamento em “campo fechado”.

Diferenças entre Mézières (M) e Souchard (S)
Papel do doente: M - fundamentalmente passivo; S - fundamentalmente activo
Contexto: M - individual; S - individual ou em grupo
Alongamento: M - parcelar em cadeia; S - global em cadeia
Cadeias musculares: M - cadeia posterior e respectivas extensões; S - várias
Coluna: M - deslordosada; S - Neutra nas posturas de "bailarina" e "sentado", Deslordosada em D.D. e de pé.
Trabalho abdominal: M - só abdominais superficiais; S - abdominais sup e profundos (ex. transverso)
Semelhanças e diferenças (entre Mézières e Souchard) em imagens (exemplos)
Postura Mézières
Vs.
Rã no ar (Souchard)
Postura sentada (Mézières)
Vs.Postura sentada (Souchard)

3 comentários:

Arte da Luluzinha disse...

Comecei um tratamento com RPG e os resultados são excelentes.

.... disse...

olá!:o)
Achei muito bom este texto. Bem esclarecedor. O Souchard tem o hábito de dizer que foi o inventor da técnica de reeducação postural no Brasil.
Posso divulgar este texto no meu blog?
Um abraço.
Sheila

Stela Faggin disse...

Já trabalho aqui no Brasil a tempo com as técnicas de Mme. Godelieve e Béziers (Psicomotricidade) e tenho resultados fantásticos. Contudo, com relação ao RPG muitas pessoas me procuram por não terem resultados favoráveis devido a tendência de retificar a coluna...como a Yoga. Muito bom o texto! Esclarescedor demais. Obrigada Abraço