sábado, outubro 14, 2006

Um conselho sobre a formação em Pilates


Apesar de não constituir um método de reeducação postural por excelência, o método Pilates apresenta-se como um sistema de treino/tratamento bastante eficaz, principalmente em termos da consciência corporal, equilíbrio e fortalecimento abdominal profundo. Este texto serve apenas para dizer que a formação em Pilates deverá ser considerada pelos fisioterapeutas como de grande importância. Cada vez mais as pessoas procuram o Pilates de modo a obterem tratamento e compensação para os seus problemas de coluna. E, geralmente, os professores que apanham são meros instrutores de fitness, sem formação em saúde, e muitas vezes sem formação superior na área da motricidade. Um simples instrutor com um curso profissional de musculação pode fazer um curso de Pilates e tornar-se instrutor. Será legítimo que as pessoas com problemas sejam acompanhadas por este tipo de "profissionais"?... Será legítimo que estes mesmos "profissionais" sejam vistos como professores especializados, enquanto que os superformados fisioterapeutas são vistos meramente como os senhores das mãozinhas? Penso que tal é especialmente injusto, principalmente porque não há profissionais mais bem formados para lidar com a postura e o movimento do que os fisioterapeutas. Defendo, portanto, que deverá ser a classe dos terapeutas aquela que deve pegar nas classes (assim como no trabalho individualizado) de Pilates.
No domínio da própria prática de Pilates, apenas será saudável a prática de um Pilates seguro e adaptado aos problemas dos indivíduos. Refiro-me a um Pilates doce, apostado no trabalho localizado, sem criação de compensações, e com respeito pelos princípios mézièristas de prevenção das lordoses. Ora, tal só será conseguido mediante a formação numa escola moderna (o Pilates Institute é um excelente exemplo). As escolas clássicas de Pilates prendem-se numa prática muito agressiva, criadora de compensações e geradora de lesões.
Recomendo a visita do site www.pilatesinstitute.org ou a realização de formações de Pilates adaptado a fisioterapeutas.


7 comentários:

ines disse...

Olá Terapeuta Luís!!
Ao ler o artigo que escreveu sobre pilates não pude deixar de expressar a minha opinião. Sou Fisioterapeuta e actualmente encontro-me a participar no curso de Pilates (FGM). Desde que iniciei o curso, e para grande espanto meu... deparei-me com 20 alunos dos quais só 5 são fisioterapeutas! Concordo plenamente quando escreve que pilates deveria ter uma pré-selecção dos seus alunos mais rígida, não permitindo que pessoas que têm workshops de fitness se tornem instrutoras de pilates! Até pq, esta modalidade centra-se muito no movimento humano e quem melhor que nós para o entender!!!
Um bem-haja por todo o trabalho que tem desenvolvido e principalmente pelo seu espírito crítico...

DUARTE disse...

Olá...
Acabei por descobrir este link por acaso, e para espanto meu ao ler o que foi escrito sobre pilatos reconheci que o que escreveu no seu artigo é exactamente o que me vai na cabeça. Acabei este ano o curso de fisioterapia e, tal com já desconfiava, observo que o mercado de trabalho está em grande parte ocupado por pessoal não qualificado ou de baixa qualificação para o cargo. Por tudo isto, no meu caso (que estou agora a entrar para o mercado de trabalho) considero imperativo organizar-se maneiras de se acabar com o oportunismo de muitos e obriga-los a colocarem~se no seu lugar...

O contributo de "massa cinzenta" com espirito critico é um optimo começo...


Parabens pelo artigo


(Já agora gostaria de saber se possivel onde poderia ter formação sobre PILATES"

Anónimo disse...

olá,vc realmente é um cara bom e direto no que diz...coclui um pouco do que é entender de um método como pilates que naum é nada fácil de se compreender e estudar.
Realmente ao ler este artigo tiv q t mandar um comentário dizendo q ele está ótimo e que foi um acaso eu ter lido ele...mas q bom ter pego assim de surpresa.mando um abraço e q continui a mandar desses conselhos,sempre é bom...

Thay disse...

oi Luís!
eu estou começando agora o curso de fisioterapia, e já estou observando uma área para a minha especialização. Me interessei pelo método de Pilates mas gostaria de saber como está o mercado de trabalho nesta área. Vale a pena investir?

Anónimo disse...

Prezados Fisioterapeutas, também sou um e defendo a profissão com unhas e dentes. No entanto, vejo a falta de essência no que se diz neste artigo. Não sendo um "superfisioterapeuta" Joseph Pilates não poderia fazer esta formação se fosse vivo então. A maioria dos métodos não são idealizado por fisioterapeutas. Porque? Porque "superfisioterapetuas" não tem criatividade, estão presos nas bases e fundamentos que o ambiente acadêmico impõe.

Déa disse...

concordo plenamente... amo a área da fisioterapia, porém, vejo que o que faz o profissional é a sua própria capacidade e não o curso que faz. Duvido que uma pessoa sem qualificação consiga passar nos exames de certificação de Pilates, em cursos sérios... é preciso conhecer a fundo as disciplinas de anatomia, fisiologia e cinesiologia para compreender os fundamentos do método. Quem vai procurar um estúdio de Pilates que procure saber onde esse profissional recebeu sua certificação.

ALIPIO disse...

.. sim jovens HUMANOS, somos anteriormente cidadões que durante a escolarização, até a universidade e sua formação passamos criteriosos processo de avaliação... nossa vocação , verdadeira arte de ser na profissão acredito eu, não vem desprovidos de bases cientificas.... contudo quando afirma ingenuamente o profissional de educação fisica.. instrutor de fitness., e mera e não integrada forma de ver A SUA , A MINHA , A DO OUTRO, HUMANO QUALQUER.
assim o seu ponto de vista poderá ser mais refletido jovem, sobre e a cerca da UNIVERSIDADE e a formação de profissionais. Existem profissionais de varios niveis , metodos, e suas aplicações,e HUMANOS EM UNIVERSIDADES