segunda-feira, abril 09, 2007

Global Fisio e afins – é esta a nossa situação!

Lá porque escrevo neste blog e trato de assuntos que dizem respeito à fisioterapia especializada nem por isso deixo de ser um fisioterapeuta que trabalha somente em Part Time e que, como tal, busca mais tempo de trabalho. Na passada quinta-feira recebi um telefonema segundo o qual teria de estar presente numa entrevista segunda-feira às 09h30 na sede da Global Fisio em Telheiras. Esperava encontrar uma Clínica ou um escritório, onde pudesse ser entrevistado com tempo e condições, mas o que encontrei foi uma sala de formação já com diversos outros fisioterapeutas lá dentro, todos eles apanhados na mesma “ratoeira”. É que, ao contrário do que se podia esperar, ao invés de uma entrevista, fomos todos reunidos num grupo e fomos sujeitos a uma boa dose de “formação” acerca dos valores e objectivos da empresa. Mais tarde apresentámos oralmente um resumo dos nossos currículos (não sei bem para quê visto que a empresa já possuía os nossos currículos escritos). E depois de toda esta “farsa” percebi finalmente por que estávamos ali todos presentes. Aconteceu que foi-nos pedido para escrever numa folha de papel o nosso nome, dentro do qual deveríamos referir a importância pela qual desejávamos ser pagos. Muito interessante este sistema de selecção. As coisas chegaram a um ponto que as empresas deixaram de estabelecer um determinado preço, passaram antes a “comprar” o profissional mais barato. E a prova estava à vista: quando foi feita a “filtragem” de profissionais, ficaram três “sortudas” (será???) que não eram de forma alguma as três pessoas que, segundo o que pudemos constatar, apresentavam o melhor currículo. As pessoas que trabalhavam há mais tempo ou aquelas que estavam a fazer mestrado e outros cursos não passaram na “filtragem”... Então qual foi o critério de selecção? Claro que só pode ter sido a “quantidade” de dinheiro que os fisioterapeutas pediram. Pois é bom que saibamos que a nossa profissão não é mais uma profissão em que valha a pena ter bom currículo. As capacidades do profissional de nada lhe valem. Somente a capacidade para ser explorado! Estamos a caminho do FIM!

18 comentários:

Anónimo disse...

Compreendo.
Provavelmente sentiste que eras uma mercadoria de feira, ou melhor de ciganos para te venderem na feira.

Ou será mais num leilão!!!
sabes eu já não penso em trabalhar em clínicas, desisti. Estou cada vez mais a enveredar por novos caminhos, e por isso, repreendo-me quando volto a colocar a hipótese de enviar mais currículos ou ir a entrevistas, pois saio sempre com vontade de mudar de profissão.

um abraço de apoio.
bj
patrícia alves

Chris disse...

oNão é só aí em Portugal que aconte este tipo de coisas, aqui no Brasil também. Graças a Deus nunca passei por uma experiência deste tipo, mas já passei pela experiência da desvalorização. Hoje em dia não tenho mais a mínima vontade em trabalhar numa clínica e ser empregada de alguém, pelo menos não aqui no Brasil. Prefiro continuar com meu consultório particular, mesmo que demore a fazer meu nome ou quem sabe um dia abrir uma clínica própria, com um grupo de amigos. Mas ando bem desanimada com a profissão aqui, principalmente em relação a RPG, devido ao grande numero de pessoas formadas em cursos que não são do método original, do Souchard, e devido ao grande marketing que criaram em relação a RPG aqui, onde os donos das clínicas não querem nem saber se o profissional contratado fez o curso do Souchard ou qualquer outro de RPG genérico. O que eles querem é ter um profissional que trabalhe com RPG, pois isto atrai cliente.

Abraços,
Chris

Luís Coelho disse...

Obrigado pelo apoio. Em relação ao que disseste Chris deixa que te diga que aqui em Portugal nem interessa se temos ou não determinada formação. Somos vistos como mera "mão de obra"... e quanto mais barata melhor. Somos realmente "mercadoria" (tal como disseste Patrícia).

Chris disse...

Acredito que aqui no Brasil também tenha sido assim no inicio, qdpo os fisioterapeutas ainda brigavam por seu espaço e por sua autonomia, mas hoje em dia muita coisa mudou, mas ainda sim existem aqueles que tratam os profissionais como mera mercadoria e não dão valor a formação nenhuma, preferem contratar um recém formado, com pouca experiencia, do que contratar um profissional com cursos de pos-graduação, pois assim eles podem pagar menos ao profissional.
Isso é irionia do destino, pois fazemos cursos para nos destacarmos, nos aprofundamarmos, mas somos menos valorizados do que os que mal saíram da faculdade.

Luis Marques disse...

Caro Luis Coelho
A forma ofensiva e injusta como relata a sua experiência com a Global Fisio obrigam-me a responder-lhe em abono do direito de resposta e para que tenha a oportunidade de se questionar acerca do que parece ser, a avaliar pelas suas palavras, a posição dogmática de quem se julga detentor da razão e do dom da justiça.
Entendo que esteja revoltado com a sua situação e com aquela em que se encontra a Fisioterapia e os fisioterapeutas em Portugal e por não ter sido seleccionado no referido processo da Global Fisio, não vejo nisso é motivo bastante para disparar ódio à sua volta, nomeadamente à minha empresa que o convidou para estar presente como candidato, o que o Luis Coelho aceitou voluntáriamente.
É que não lhe reconheço autoridade nem legitimidade para ajuizar e classificar os curriculos das suas colegas bem como os critérios de selecção que são os da empresa e não os seus, sobretudo utilizando termos como “ratoeira”, “farsa” e “sortudas” que não me parecem adequados e próprios de quem tem a formação académica que o Luis Coelho tem.
Apesar da formação de base e complementar que tem feito, e que é de louvar, admita que tem ainda muito para aprender, nomeadamente em matéria de processos de selecção e recrutamento de Recursos Humanos.
Compreendo que o que encontrou não correspondesse às suas expectativas; mas teria que corresponder? Porquê? Deverá admitir que existem muitas formas de seleccionar e recrutar Recursos Humanos, e de que quem o faz ser digno de respeito. Respeito aliás com que todos os candidatos foram tratados, o Luis Coelho inclusive. Lembro-lhe que muito antes de o Luis Coelho chegar à profissão já cá andavam outros há muitos anos, entre os quais eu, e que tiveram que descobrir “o caminho das pedras”.
Sugiro-lhe que faça o mesmo e não reclame da vida. Afinal de contas, nunca houve tantos recursos disponíveis como nos dias de hoje, há é também mais competição e é com isso que tem que contar. O mundo não gira á sua volta, mas concede-lhe incontáveis oportunidades.
Deixe-me ainda dizer-lhe que aquele processo de selecção e recrutamento não se destinava a seleccionar currículos mas sim pessoas. Pessoas que falam, se expressam e têm expectativas, e nesse aspecto o Luis Coelho teve como os outros a sua oportunidade
Para quem cita Merleau-Ponti e se apresenta como um pensador deixo-lhe dois pensamentos:
1.
Os estudos formam sábios, a educação forma homens.
2.
Se queres ser digno respeita os teus pais, os teus colegas e os mais velhos.

Os meus melhores cumprimentos

Luis Marques
Director Geral
Global Fisio

Luís Coelho disse...

Quem lê a resposta do director da Global Fisio quase que chega a acreditar que o dito senhor chega a arraigar alguma razão.
Ora, era preciso estar no sítio onde estive, naquele mesmo processo de selecção para ver que as "apresentações" dos candidatos não poderiam de forma alguma servir como método de "conhecimento da pessoa". Para além do mais, não sendo o Sr. Luís Marques ou a outra senhora presente psicólogos, não vejo em vós (eu sim não vejo) qualquer legitimidade para seleccionar recursos com base nas "pessoas". Para além do mais, não sei que tipo de selecção empresarial é esta que escolhe "pessoas" e não currículos. Um dos problemas do nosso país corresponde precisamente a que as pessoas estão sempre a subir à custa da imagem ou simpatia e não à custa dos seus verdadeiros préstimos. Ou seja, quando se selecciona a "pessoa" e não o currículo, estamos a permitir a entrada no mundo do subjectivismo, a entrada no mundo do "tudo é aceitável". Ora, por esse andar, nada garante que o "melhor" entre, visto que não há qualquer objectividade no vosso processo. Pode entrar quem bem vos apetecer, que é aliás um dos grandes problemas das empresas e serviços privados. Sabe-se lá se alguma das referidas "sortudas" não teria já operado a sua "influência"... Faz lembrar as notas dos professores no ensino superior... Chegam-se efectivamente a dar notas pela imagem e não pelo comportamento académico.
Quanto aos seus comentários relativamente à minha posição dogmática, e todos os outros relativos ao "respeito aos mais velhos", devo dizer-lhe que ainda bem e graças a Deus que alguns dos novos profissionais da profissão se põem a pensar e a dizer aquilo que verdadeiramente pensam. E o que seria do mundo se aceitássemos só o que os Dinossauros do Sistema dizem... A avaliar pelos seus comentários, e de outras pessoas que se têm demonstrado ofendidas, parece que o facto de se ser mais velho significa automaticamente que se é mais sábio. Ora, nada mais falso do que a realidade! A meu ver, quanto mais experiência se acumula na nossa profissão mais a cabeça do profissional fica enterrada no esterco de uma realidade negra, esterco esse que polui a horizontalidade e abertura de olhar. Meu caro: eu, que tenho 26 anos, já escrevi e publiquei mais artigos em revistas médicas do que a maioria dos experts da fisioterapia. Tenho conhecido experts de determinadas áreas do conhecimento a cometerem erros inconcebíveis. Como tal, não me subestime a mim e aos jovens activos da profissão. É nas nossas mãos que está o desenvolvimento da Fisioterapia. Sim, porque das vossas mãos nada de bom surgiu! Não me venha, portanto, falar de "respeito". A maioria dos "velhinhos do Restelo" da Fisioterapia (graças a Deus, nem todos...) já passaram há muito de prazo.
Quanto aos seus critérios e os da sua empresa, volto a repetir: FORAM OS SEUS CRITÉRIOS, NÃO FORAM CRITÉRIOS DE ESCOLHA OBJECTIVOS. SÃO PESSOAS COMO VOCÊ E MÉTODOS COMO OS SEUS QUE TÊM ENCHIDO OS SERVIÇOS E EMPRESAS DO NOSSO PAÍS DE PESSOAS PROFUNDAMENTE INCOMPETENTES. E tem razão quando fala do meu "ódio". Tenho realmente um grande ódio relativamente à forma como tudo isto funciona, como todos vocês - os do Poder - tendem a agir, e como ninguém faz nada para melhorar o sistema.

Anónimo disse...

Subscrevo completamente o protesto que o Luís Coelho realiza no último comentário. E já agora talvez o Luís não saiba mas o Sr. Luís Marques não é flor que se cheire e devia ter vergonha do tipo de coisas que faz no domínio da prática privada, não contribuindo nada para o prestígio da profissão. E pensar que já foi um dos grandes da APF...

Chris disse...

Oi, Luís

Como você mostra ter uma grande paixãp pela Reeducação Postural de uma forma geral, aí vai mais um site. Desta vez não é sobre nenhum método de reeducação postural, mas sim de reeducação do movimento. O método foi criado com base no GDS e na metodologia da coordenação motora de Piret e Béziers. É um método interesse para o nosso dia a dia, pois nos ensina a usar o corpo de forma correta nas atividades diárias, sem sobrecargas e isto é bom para nós fisioterapeutas, pois temos a tendência em sobrecarregar demais nosso corpo.

o site é www.ivaldobertazzo.com.br

Anónimo disse...

Caro Luis Coelho,

Não pretendo com esta intervenção dar-lhe nenhum tipo de lição de moral, mas apenas matéria de reflexão de quem já cá anda há alguns anos.
Tenho visto o seu Blog que me parece apresentar matéria bastante interessante. No entanto vejo que, embora bastante novo o Luis é já alguém amargurado e revoltado com a vida. Deixe-me dizer-lhe que, mais do que justificar a sua revolta culpabilizando terceiros, estou convencido de que encontraria o caminho do sucesso ao assumir a responsabilidade directa de construir o seu próprio futuro. Parece-me que capacidade técnica o Luis terá, pelo que o resto será um processo de desenvolvimento e amadurecimento pessoal.
Aquilo que me parece que não o levará a lado nenhum é usar o seu Blog e o espaço que hoje temos disponível na net, para atacar e enxovalhar outras pessoas, que o Luis nem sequer conhece. Parece-me que no mínimo é injusto. Espero que o Luis não esteja nunca nessa situação, pois estou convencido de que não iria achar agradável.
Não acompanhei obviamente o seu processo de recrutamento, no entanto já acompanhei o Director da Globalfisio, noutros processos do mesmo tipo, pelo que conheço profundamente o método. E deixe-me dizer-lhe que a informação que o Luis torna pública tem algumas omissões importantes. Por um lado, a posição que estava disponível era para alguém que iria começar como estagiário, pelo que claramente as pessoas mais qualificadas e com legítimas expectativas salariais mais elevadas, estavam em desvantagem. Por outro lado, a entrevista de grupo engloba uma série de questões de avaliação de perfil comportamental, que pretendem despistar uma determinada personalidade pretendida para a função. Mais do que isso, a entrevista é complementada com um teste de despiste, que o Luis também não mencionou.
Mas mais que tudo Luis, deixe-me tecer algumas considerações em relação ao indivíduo que o Luis tentou achincalhar.
O Luís Marques é um profissional de saúde de créditos firmados e reconhecidos, tanto pela classe Médica, como pelos seus pares Fisioterapeutas, como por largas centenas de pacientes que lhe têm passado pelas mãos durante mais de 20 anos. O Luis Marques tem praticamente tantos anos de profissão, como o Luis Coelho tem de vida e por muito sofisticado que o Luis Coelho seja do ponto de vista técnico e por muitos papers de elevada qualidade que tenha escrito, espero que não tenha de chegar a velho antes de compreender aquilo que só a experiência nos trás.
O Luis Marques, para além de ser profissional de saúde, é neste momento um dos sócios de referência, em 4 Países, da maior empresa mundial de Coaching de negócios e portanto não só está habilitado a fazer processos de selecção para qualquer empresa, como está também preparado para ensinar qualquer Empresário a fazê-lo. Estas habilitações incluem por exemplo certificações em NLP e DISC profile, entre outras técnicas de vanguarda.
O Luis Marques é uma das melhores pessoas que conheço. Uma das pessoas mais generosas, humildes e amigas que tenho conhecido na vida. Não só é profissional de saúde, como é também Empresário, o que significa que dá emprego a outros profissionais de saúde. Se não houvesse outros assim, não sei onde iria o Luis Coelho, bem como os seus colegas mais jovens trabalhar, uma vez que o sector público não absorve, nem de perto, nem de longe, a oferta que existe no mercado.
O Luis Marques é alguém que lhe deu uma oportunidade. Alguém que o recebeu bem na sua casa e que ponderou a possibilidade de o recrutar. Não é bonito ir a casa de alguém que nos recebe bem e posteriormente falar mal das pessoas em público.
O Luis Marques é Pai de 2 crianças, que já sabem ler e já vão à Internet. Se não como Pai, então como filho, pense se gostaria de ver o seu Pai Caluniado.
Independentemente de tudo isto, o Luis Marques ou qualquer outra pessoa no lugar dele, não merecia esta sua atitude. O Luis Coelho está apenas a descarregar nos outros a sua frustração. Compreendo a sua frustração, porque também já fui jovem e o primeiro emprego não veio fácil, o que não compreendo é que se tente, por isso, responsabilizar injustamente quem não tem nada a ver com isso…
Luis Coelho continue com o seu Blog mas utilize-o com propósito positivos, como espaço de debate e reflexão sobre este tema que se percebe vive apaixonadamente. Não permita que o nível baixe e que o Blog se torne num sítio onde se vem falar mal das pessoas e descarregar aquilo que na vida não nos corre como desejaríamos.
Desejo-lhe sinceramente as maiores felicidades para a sua carreira. Percebe-se que o Luis é um indivíduo capaz e inteligente, como tal não só terá sucesso, como também será capaz de reflectir e compreender que, tal como acontece a toda a gente, teve um momento menos feliz.
Quem sabe se tomando o seu destino nas suas mãos, o Luis Coelho não se torna também Empresário e aí pode montar um negócio onde por em prática tudo aquilo que acredita, enquanto dá emprego a outros colegas de profissão.

Luís Coelho disse...

Não, se Deus existe, não me tornarei o tipo "excepcional" de pessoa que o Sr. Luís Marques é. Não quero saber, e pouco me interessa, aquilo que o Sr. Luís Marques é enquanto pessoa ou empresário. O que já se percebeu verdadeiramente é que o dito Senhor possui realmente alma de Empresário, alma capitalista, pelo tipo de atitude geral que tomou relativamente à sua "casa".
Por breves momentos, parecia-me que estava a querer tratar o dito senhor como um Deus. Não, não fui eu que tive um momento menos feliz. Foi o dito senhor, para além de si mesmo, que teve um momento muito pouco feliz. E as tais circunstâncias, desculpe que lhe diga, mas não servem de desculpa. Seleccionar um estagiário para trabalhar constitui a mais nojenta forma de trabalho que alguma vez o nosso país poderia ter inventado. E pelo o que vi, o Sr. Luís Marques, pai de dois filhinhos tão fragilizados, contribuiu para o acto estulto e imoral. Contratar estagiários é profundamente antitético. Ou se contrata um trabalhador ou não se contrata um trabalhador. O que você fez foi provar mais uma vez que eu tinha razão: O Sr. Luís Marques foi buscar a dita "mão de obra barata". E não me venha mais uma vez com a hipocrisia da "avaliação personalizada". Não houve tempo, naqueles três minutos de apresentação, para se conhecer o mais reles pormenor da personalidade ou atitude de cada um. E é realmente face a estas hipocrisias que eu sou realmente um homem zangado com o mundo. E mais uma vez repito: não me venha com a falácia da Experiência. Essa "conversa da treta" já cheira mal de tão podre que anda. A Experiência interessa na "forma" como é vivida, não no número de anos que é vivida. Muitos desaprendem mais do que aprendem, com a sua experiência. Como refiro em texto actualizado, fiz muito mais coisas pelo mundo científico da fisioterapia em três ou quatro anos de prática do que muitos "especialistas" numa vida inteira de prática. E mais uma vez digo: não admito que venham comparar as vossas vidas com a minha ou a dos muitos jovens actuais. Os jovens da actualidade têm a tarefa muito mais complicada do que a que V. Ex.as tiveram no seu tempo. Tenho por acaso que explicar porquê?...

Anónimo disse...

Caros Intervenientes:
Mais uma vez constato a grande diferença entre a formação em fisioterapia e a "realidade" em fisioterapia.Durante a formação nas escolas superiores, é transmitida uma imagem e uma ideia que nada têm a ver com a realidade e o nosso mercado de trabalho! Mais uma vez (e neste caso é bem notório) temos um jovem preparado ( e segundo o mesmo muito bem e muito inteligente)Ft. Luis Coelho, que procura iniciar a sua vida profissional com os valores que aprendeu e lhe foram transmitidos na escola, por Professores extraordinarios e competentes ( ainda segundo o nosso jovem colega), mas que nada têm em comum com a realidade laboral!(privada)
Do outro lado um colega (e meu amigo) Ft. Luis Marques com larga experiencia no mercado laboral (e tambem na vertente academica - Analizar curriculum!- talvez dos poucos Ft`s Portugueses com distinção nas duas aréas!!!)que conseguiu exito no (fácil segundo Ft. Luis Coelho) mercado privado onde trabalha desde 1984 e onde constituiu uma pequena empresa com sucesso.
Como Fisioterapeuta é um profissional de créditos firmados com enorme qualidade ( posso dizer pois já por ele fui tratado!E com exito-entrei no seu gabinete - Global fisio - fui por Ele tratado e sai melhorado e VOLTEI - A isto chamo publicidade á Fisioterapia!
Ft. Luis Coelho a si não o conheco, mas pela leitura do seu blog vejo que é um apaixonado pela fisioterapia( ponto que temos em comum) por isso lhe digo, que a "nossa" fisioterapia precisa de muitos LUIS MARQUES,mesmo que não comcorde com o metodo de seleção(eu próprio não sei se o utilizaria)mas pense que se ele o utiliza e tem exito...
Queria tambem dizer a todos os novos Ft´s que o único caminho que temos para nos afirmarmos é sermos imprescindiveis!

Nuno Arnaut Pombeiro
Fisioterapeuta

Anónimo disse...

Caro colega

Não resisto a felicitar-te. Gostei muito do charme e classe que as tuas palavras emanam...quando tiveres peixe barato lembra-te dos amigos. Parece-me que os ultimos conteudos do teu blog são muito coerentes com a reeducação postural global...muito contextualizados; confesso que vinha enrriquecer os meus conhecimentos em R.P.G e acabo cheia de medo de me esbarrar com o tenebroso Sr. Luís Marques amanha na rua!!!!! Que DEUS me proteja.

Luís Coelho disse...

Para a pessoa que escreveu o último comentário, peço, por favor, que não deixe de ler sobre o objectivo deste blog. Cito: "Este é um blog de um fisioterapeuta sobre fisioterapia e saúde (...)". Como tal, não discutimos só Reeducação Postural, mas todos os contextos que digam respeito à Fisioterapia.
Mas, se é sobre a Reeducação Postural que quer encontrar coisas neste blog (e não esquecer que trato o conceito de "Reeducação Postural" como um não sinónimo de R.P.G.), verá, se procurar adequadamente, que matéria sobre o assunto não falta no citado blog. Pena que entre tantos Posts tenha vindo logo esbarrar neste post de "peixe barato". Curiosamente, perante tanto "peixe barato", muitos "envolvidos" tiveram necessidade de se manifestar...

Anónimo disse...

Olá!
Meu nome é Conrado Gontijo, professor de Educação Física.
Trabalho com uma aula semanal de RPG com alunos de 5 a 8 séries, de escola estadual de minas. Alunos extremamente problemáticos e desinteressados até das aulas práticas. Alunos carentes, de baixa renda e que residem em bairros de alto índice de periculosidade.
Estou querendo uma sugestão de como trabalhar com RPG para que os alunos se interessem. Um método para despertar o interesse e ter um resultado positivo para ambas às partes.

Se possível envie para o meu email:
conradogontijo@pop.com.br

Atenciosamente,
Conrado Gontijo
11/11/07
Obrigado!

Anónimo disse...

Ah! Se tiver algum material interessante onde eu possa aplicar para os alunos, uma estrategia, sei lá, o que for achar de interessante, me mande por favor...
Obrigado,
Conrado

Anónimo disse...

Trabalho na global fisio...como recepcionista...e quando escrevi o nome de global fisio no google...deparei-me com este tipo de comentários...não estou aqui para defender o bom nome da clinica pq já o tem...apenas para dizer que ainda bem que não trabalha aqui...seria desagradável conviver com alguém que apesar de já ter 26 anos de idade ainda se comporta como uma criança a quem tiraram um docinho... esta minha rudeza simbólica vem apenas no sentido do constrangimento que tive ao deparar-me com tamanha parvoice...da sua parte...susana

Anónimo disse...

Posso realmente dizer que fiz tratamentos na global fisio..e a inexperiencia dos fisioterapeutas fez-me desistir dos tratamentos...Não vou voltar.. Acho que já chega de falta de prática e experiencia....

Anónimo disse...

Do ponto de vista dos utentes, é também importante que os fisio-terapeutas ou aspirantes a fisio-terapeutas, caso sofram de Doença Bipolar, tenham esta patologia sob controlo, independentemente da larga experiência profissional e/ou currículo académico, sugiro também aos aspirantes ao sucesso a adquirirem formação adicional em de constituição e gestão de empresa do ramo, pedirem um empréstimo ao banco, e, a não incomodar mais os seus colegas